MENOS SEGURANÇA: Estado tira 8 policiais de Esplanada que só fica com 2 para dar suporte a população da sede e entorno.

A população esplanadense inicia a semana com uma notícia muito indigesta e altamente preocupante. Pois na véspera do fim ano, chegada do verão, onde naturalmente o movimento do comércio e da cidade aumenta relativamente por causa das férias, Esplanada vai perder um “efetivo de 8 policias militares”, que foram relocados pelo comando da 56º CIPM para outra localidade, segundo informações que recebemos de um PM que preferiu não ter a sua identidade revelada. A Sede e suas demais localidades vão contar apenas com a cobertura de 2 PMs/dia.
O que se pode afirmar até o momento é que o comando da 56º CIPM está reforçando muito a segurança em Subaúma, Massarandupió e Porto de Sauipe, localidades pertencente ao município de Entre Rios. Quem circula nessas regiões já percebe essa movimentação no aumento da segurança pública.
Esplanada que vinha obtendo resultados importantes com o trabalho desenvolvido pelo 3º Pelotão de Polícia Militar, principalmente com o aumento do seu efetivo, no Comando do Sub Tenente Gilson Cruz, sofre um golpe duro com essa baixa na sua equipe.
Tentamos falar com o Major Ivan Paulo Comandante da 56ª CIPM, que tem a sua base em Entre Rios, até o fechamento dessa matéria e não conseguimos.
As autoridades do município de Esplanada e as lideranças que representam o mesmo junto ao Governo do Estado, precisam buscar uma solução imediata de abortar esse movimento através do Comando Geral da PM, antes que a situação para os Esplanadenses comece a complicar e ter de volta os números negativos, já no início de um novo ano.
CRISE NA SEGURANÇA PÚBLICA DA BAHIA
A Bahia enfrenta a maior crise de segurança pública dos últimos anos, onde das 10 cidades mais violentas do Brasil, 04 são na Bahia, segundo o Atlas da Violência de 2017: Lauro de Freitas, Simões Filho, Teixeira de Freitas e Porto Seguro. tema divulgado amplamente em todos os veículos de comunicação do Brasil: Leia a matéria na íntegra aqui.
Os dados, que foram divulgados no dia 5/6/17, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), consideram o período entre 2005 a 2015. Neste último ano da pesquisa, a média foi de 92,5 homicídios a cada grupo de 100 mil habitantes, conforme o estudo.
Lauro de Freitas, município da Região Metropolitana de Salvador (RMS), tinha em 2015 uma população de 191.426 habitantes e ficou atrás somente da cidade de Altamira (PA). O município da RMS computou, no ano referente, 177 homicídios e 10 Mortes Violentas com Causa Indeterminada (MCVI).
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-BA) diz não concordar com a metodologia utilizada pelo o Ipea para a contagem das mortes nos estados brasileiros e que os dados divulgados nesta segunda podem ser incoerentes. 
No geral, a Bahia tem oito cidades entre os 30 municípios mais violentos do país. Além das quatro primeiras já citadas, as cidades baianas de Barreiras (14º), Camaçari (15º), Alagoinhas (18º), Eunápolis (19º) e Feira de Santana (30º) completam lista.

 

Da Redação: (esplanadagora@gmail.com) 
Foto: Divulgação