Morador de Jandaíra pede ajuda para encontrar irmão adotado em Esplanada

Rosângelo Alves Cardoso morador do município de Jandaíra veio através do Portal Esplanada Agora para tentar encontrar o irmão que segundo o mesmo, foi adotado ao nascer na cidade de Esplanada. 
De acordo com Rosângelo, seu irmão cuja identidade é desconhecida, nasceu em 30/12/1978, a mãe, Josefa Tereza Alves Costa o doou para uma enfermeira, na época conhecida como Xanda. Se alguém tiver alguma noção do paradeiro do rapaz, entrar em contato imediatamente com a redação do portal. A família agradece. 

________________________________________________________________________________________________________

Da Redação: Manuela Chagas (agora.manuelachagas@gmail.com)
 
 

 

Esplanadense oferece curso de artesanato em feltro, saiba mais

Está com dificuldades financeiras e precisa de um extra? o artesanato em feltro pode ser uma excelente opção para quem precisa ganhar uma renda a mais e aumentar o orçamento. Para isso, a esplanadense Tânia Andrade está oferecendo um curso na área que pode ajudar você a sair da crise, além de ser uma ótima terapia para combater o estresse e outros problemas de saúde. 
O curso contará com apostilas, moldes e dois modelos que ficarão com os alunos. 
Se interessou? então corra e garanta sua vaga. 
Maiores informações, tratar com Tânia através do número (75) 9867-6059. 

________________________________________________________________________________________________________

Da Redação: Manuela Chagas (agora.manuelachagas@gmail.com)

System Jah – conheça a banda esplanadense que começa a dar seus primeiros passos

Do velho e tradicional Rock’n Roll para o Reggae. Essa é a história de um grupo musical esplanadense que trilhou novos caminhos e hoje começa a dar seus primeiros passos. De início, a banda se chamava Nova Ordem que se originou após o fim da Banda Check Up. Cada membro seguiu rumos distintos, todavia, alguns deles não abriram mão da música e formaram suas próprias bandas, como foi o caso do ex-integrante Geovani Pereira. O músico junto com mais dois dos seus colegas também da antiga banda Alexandre e Ricardo, tomaram o desafio e até então pretendiam seguir com o rock, contudo, após uma série de discussões e novas propostas, o grupo decidiu reavaliar o projeto e acabou se enveredando para o Reggae, dando origem a banda System Jah. 
No dia 21 de janeiro deste ano, a banda subiu ao palco pela primeira vez numa festa realizada no Povoado do Mulungu. “foi maravilhoso, nem esperávamos ser aceitos assim de cara pelo público nem tivemos muito tempo pra ensaiar, mas deu tudo certo”. Confessou o vocalista Geovani. 
Formada por Alexandre Menezes na bateria, Luís Almeida como guitarrista, Mário Sérgio Percussionista, Sérgio Simões (teclado), e Geovani como vocalista, a banda que já possui composição própria a exemplo da música “Menina Linda” agora tem como foco principal gravar seu primeiro cd. De acordo com Geovani, a ideia será colocada em prática logo após o carnaval. “Vamos trabalhar em cima disso e também buscar divulgar nosso trabalho dentro e fora do município, agarraremos cada oportunidade nos dada”. Finalizou. 
 
Da Redação: Manuela Chagas agora.manuelachagas@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

Esplanadense é aprovado na OAB no 3º período do curso de Direito

Passar na OAB é o sonho de todo cursante de Direito, contudo obter a almejada aprovação não é uma tarefa tão simples. Para ter êxito, é necessário conhecimento em torno do ramo jurídico, além de muitas e muitas horas de estudo; é preciso garra, dedicação e empenho. 
Hoje o Esplanada Agora vai contar a história do esplanadense Erivaldo Almeida, 26, que no 3º período do curso de Direito, foi aprovado nas duas fases da OAB.
Eri como costuma ser chamado, nasceu na cidade de Esplanada e é filho de pais analfabetos. Apesar disso, seus genitores sempre o ensinaram sobre a importância do estudo. Eri prestou uma entrevista ao Blog Diário Jurista no qual prestou alguns esclarecimentos sobre sua precoce aprovação na tão temina OAB. Confira a entrevista: 
Por que decidiu prestar o exame de forma tão precoce?
Eu sempre achei que estava no curso errado em virtude das matérias propedêuticas, que são dadas no início do curso, então decidi adiantar meus estudos para, de fato, conhecer o que é o Direito Material. Peguei a ementa da faculdade e estudei alguns assuntos. 
Via nas redes sociais as pessoas falando do famigerado Exame da OAB, fui pesquisar para ver que bicho era esse. Aquilo despertou em mim o desejo de enfrentar esse dragão e desmistificar essa estória de que a FGV ( banca que aplica a prova) é imbatível e também de estudar de forma compulsória, afinal, conhecimento não se perde.
Como foi sua preparação para a primeira fase do exame?
Bom, para primeira fase eu peguei o edital do XX exame, vi quais matérias são cobradas. No início vi vídeo aulas no Youtube, mas achei que tinha um déficit no aprendizado, então consegui um curso voltado pra primeira fase, li todos os PDFs e para aferir meu conhecimento, respondi varias provas anteriores da OAB, quando vi que minha margem de acertos ultrapassava os 70%, vi que estava pronto. Mas o segredo é esse, estudar o Direito material e resolver questões dos anos anteriores.
Como foi sua preparação para a segunda do exame?
É engraçado. No início foi desesperador, eu não tenho nenhum parente ou amigo que tenha vinculo com o judiciário, então não tinha a quem recorrer, era eu e eu mesmo.
Quando o resultado da primeira fase saiu, eu pensei em não dar seguimento a esse plano, já tinha decidido desistir, primeiro que eu NUNCA tinha tido contado com o direito processual na faculdade, segundo que eu sequer sabia o que era peça processual, recursos e afins, mas pensei: “ Bom, não tive direito material na faculdade e consegui um resultado excelente, porque que não conseguirei com o Direito processual?”Então, procurei na internet alguns vídeos de como montar peças processuais, logo em seguida, comprei um livro e treinei tanto as peças quanto as as questões subjetiva. Quando terminei de responder todas as questões do livro, peguei as provas anteriores da OAB e comecei a praticar, simulei que estivesse sendo avaliado e após terminar as peças, eu mesmo corrigia minha prova com base no espelho disponibilizado pela banca examinadora. 
Qual foi seu critério de escolha da disciplina da fase do exame?
Como já mencionado, quando prestei o exame, estava no 3° período e não tive contato nenhum com o direito processual, a única disciplina que eu tinha afinidade era Direito Constitucional, então, no ato da inscrição a escolhi, crente que poderia mudar no decorrer do Exame ( ledo engano rsrsrs).
Como foi receber a notícia de que havia sido aprovado?
Honestamente, na primeira fase, eu sabia que lograria êxito em virtude da minha alta pontuação quando respondia provas anteriores, acho válido ressaltar que não sou aluno nerd nem o tipo de aluno que tira notas 10,0, sou o famoso aluno “ Na média“.
Na segunda fase, quando eu vi a peça eu fiquei muito feliz, por já te-la treinado umas 10 vezes ( Foi uma ADPF), então sabia que teria um rendimento bom, das questões subjetivas, só não sabia uma, mesmo assim decidi responder baseado no achismo ( e não é que acertei metade da questão rsrsrs). Mas a gente sempre acha que a banca vai corrigir de forma errônea ou esquecer de pontuar algum tópico, então sofri durante a espera, quando o resultado saiu, quão grande foi a minha surpresa havia gabaritado a peça e acertado a maioria das questões. Para mim foi uma vitória que eu pude dedicar a meu pai, que infelizmente não esta presente fisicamente, mas sempre esteve comigo durante essa batalha.
O exame da OAB figura como verdadeiro “bicho papão” dos estudantes de direito, no entanto você conseguiu o feito de passar muito antes de estar no último ano do curso. Quais dicas você reputa importantes para quem está há um tempinho na luta pela carteira vermelha?
Quando o resultado definitivo saiu, eu recebi muitas mensagens e e-mails de pessoas que estão nessa luta há anos, e Deus tem me usado pra incentivar essas pessoas a perseverar.
O primeiro passo é nunca desistir, não só da OAB como de sonho algum, se você quer muito algo, lute, sue, dê o seu melhor e nunca desista, uma hora a vitória vem. Para primeira fase eu recomendo responder as provas anteriores, e nas questões que errarem, revisar mais o assunto e ver o porque de ter errado, fazer exercícios consolida o nosso conhecimento. Para segunda fase, não tem outro jeito, é treinar peca, treinar peça, treinar peça e treinar peça.. Trinar todas as peças que a OAB já aplicou e depois conflitar com o espelho.
Você pretende seguir carreira na advocacia? 
NÃO. Sempre me fazem essa pergunta e a resposta vem de imediato. Sei da indispensabilidade do advogado quanto a administração da justiça e é uma profissão que admiro e reverencio, Mas não me vejo advogando. Desde quando entrei no curso, sempre me vi na magistratura. Hoje esse desejo arde mais do que nunca. É uma paixão que surgiu durante o curso e tenho certeza que ira perdurar.
Qual sua opinião sobre o atual cenário da advocacia brasileira e seus um milhão de advogados?
Comecei o curso em 2015 e desde aquela época o mercado advocatício já estava saturado. Apesar dessa marca, vemos que o mercado carece de advogados mais capacitados. Eu, honestamente espero que os advogados atuantes, se assustem com o numero alarmante de advogados e procurem se aperfeiçoar e que os novos advogados busquem sempre ser melhor a cada dia. Conhecimento nunca é demais.
Deixe um recado para os oabeiros e futuros oabeiros de plantão.
Primeiro, confiem sempre em Deus, ele tem o melhor em nossas vidas. Que não desistam dos seus sonhos e não deixem que terceiros os desestimulem, sejam sempre humildes ( eu acredito que a falta de humildade é o que faz com que 90% dos inscritos reprovem) e por fim, treinem, faca questões, pecas incansavelmente. Só assim lograrão êxito na tão sonhada aprovação.

________________________________________________________________________________________________________

Da Redação: Manuela Chagas 

Esplanada Agora entrevista ator e professor de teatro Thiago Ribeiro: “Teatro não é pra quem quer, é pra quem pode”

Ele chamou a atenção de todos ao interpretar o demônio na peça A Paixão de Cristo. Dono de um talento incomum, aos 26 anos, o ator esplanadense Thiago Ribeiro que também é professor de teatro, além de atuar, já escreveu cinco peças, todas atuadas na Escola de Teatro; uma delas, “Antes de Partir Ou Fragmento de Amor e Sonho”  foi encenada fora da escola, em duas temporadas, numa parceria com uma Companhia de Teatro do bairro do Politeama em Salvador.
Numa entrevista exclusiva ao Esplanada Agora, Thiago contou um pouco sobre sua vida nos tablados que segundo ele, é uma paixão que vem desde quando ainda era uma criancinha. “Minha família sempre soube da minha opção profissional. Minha mãe e meus tios me apoiaram na escolha, apesar de se preocuparem porque muitos veem a arte como algo supérfluo e ainda tem a questão de ser professor que já é um profissional desvalorizado, imagine então um professor de arte, mas eles acreditam em mim, muitas vezes mais do que eu mesmo”. Thiago ainda conta que sua inspiração veio da sua irmã e também madrinha que se enveredou para a arte quando decidiu fazer graduação em dança na Universidade Federal da Bahia. ” O teatro é minha vida, é de onde eu tiro o meu sustento, eu sempre digo isso aos meus alunos e eu não seria feliz fazendo outra coisa”.
Quanto aos jovens que querem adentrar o caminho da arte, Thiago diz que é necessário muito empenho. “O teatro não é só subir num palco, tem que fazer direito, tem de ser crível, tem que fazer com que aquela pessoa que está vendo você se desligue do mundo lá fora e foque apenas naquilo que você está fazendo, pra atingir esse nível é necessário muito esforço, não pensar apenas nos pós, nas glórias… fazer teatro não é pra quem quer, é pra quem pode, é pra quem se empenha e se joga naquilo, é gostoso, porém é muito difícil”. Finalizou.

thi

Esplanada Agora – informação na medida certa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Moradores de Esplanada, Entre Rios e Cardeal da Silva agora podem fazer denúncias a PM pelo WhatsApp

A 56ª CIPM que abrange os municípios de Esplanada, Cardeal da Silva e Entre Rios agora conta com uma nova ferramenta para auxiliar no combate ao crime. Através do aplicativo whatsApp, a população pode realizar denúncias que podem ajudar na prisão de criminosos e na manutenção da ordem pública, além do email denunciar56@gmail.com que servirá ao mesmo propósito com absoluta garantia do sigilo e preservação da identificação do denunciante.
As denúncias poderão ser feitas através do (75) 9 8757-7782.
Esplanada Agora – informação na medida certa

Imigrante esplanadense se pronuncia diante do novo cenário político dos E.U.A; ‘ou melhora ou afunda de uma vez’

As eleições dos E.U.A as quais elegeram para a presidência da república o magnata Donald Trump repercutiram mundialmente. Com o advento da tecnologia, o alcance das informações facilmente se propagam e as opiniões disparam de todos os lados. Em Esplanada não foi diferente. Quem é frequentador assíduo das redes sociais, pôde perceber que muitos esplanadenses se posicionaram diante deste novo cenário político que em breve acometerá a nação norte americana. Alguns deles apresentaram-se bastante temerosos em relação ao futuro, e, devido a toda esta repercussão, o Esplanada Agora esteve conversando com Márcio Lima, o imigrante esplanadense que vive há 18 anos em Los Angeles no estado da Califórnia.
Natural de Limões, um pequeno povoado de Esplanada, Márcio que atualmente trabalha no serviço de imigração, diz que na sua visão, o discurso de Trump foi mais uma estratégia para atingir a população dotada de conservadorismo. “Ele falou aquilo que muitos que já estavam desgastados com os Democratas almejavam ouvir, tratou-se de uma tática de empresário bem sucedido para alcançar a classe conservadora e dessa forma garantir sua vitória no pleito eleitoral”. Declarou.
Apesar de não ter votado em Trump, Márcio diz que não há motivos para tantos temores, uma vez que o novo presidente é casado com uma imigrante. “A esposa dele é imigrante, seus filhos são imigrantes, sei que o foco é a população latina, mas eu acredito que muitos dos latinos destinaram seus votos ao próprio. Outros acreditaram tanto na sua derrota que deixaram de votar e isso pode ter sido decisivo nos resultados. Eu acredito que ele pode sim regularizar a situação dos imigrantes, já que o governo pode angariar recursos oriundos de impostos”. 
Não obstante a toda situação exposta, Márcio conta que sua maior preocupação é a forma como o magnata poderá lidar com a política internacional. “Ele não tem muita experiência na política e isto de fato é preocupante, mas vamos recordar de Arnold Shwarzenegger  eleito pela primeira em  outubro de 2003, com um recall especial para substituir o então presidente da Califórnia Gray Davis. Lembremos também de  Ronald Wilson Reagan,  o 40.º presidente dos Estados Unidos, ambos sem experiência política. Este último criou a anistia que regularizava a situação dos imigrantes”.
Para finalizar, o esplanadense retoma o discurso anterior de que não há o que temer. “A sociedade está assustada, isso é fato, mas vamos aguardar e esperar pra ver do que vai dar. Ou melhora o que já está bom ou afunda de uma vez. É o xeque mate!. 
marcio2

_______________________________________________________________________________________________________

Da Redação: (esplanadagora@gmail.com)
Imagem: Márcio Lima
Por: Manuela Chagas

Bandidos em fuga acabam capotando com carro na Palmeira em Esplanada

Uma onda de terror tomou conta das ruas de Esplanada na noite desta sexta-feira (28/10) na cidade de Esplanada. Transeuntes e estabelecimentos comerciais da sede e de povoados foram alvos de bandidos que assaltaram incessantemente por onde passavam.
De acordo com informações de populares, após cometerem o assalto, os meliantes evadiam do local, pilotando um carro de cor branca e que durante a fuga, acabou capotando na comunidade da Palmeira. A polícia foi acionada, mas até o momento não há informações sobre os indivíduos que estavam dentro do veículo.
Esplanada Agora – informação na medida certa

capo

Bar e Restaurante Happy Hour terá show de Jânio Alves neste sábado em Esplanada

Que tal degustar de uma deliciosa picanha  na chapa acompanhada de queijo coalho, fritas e uma cerveja bem gelada? melhor! que tal ter tudo isso e desfrutar de uma boa música? pois é! a partir das 21h deste sábado (29/10), o Bar e Restaurante Happy Hour da cidade de Esplanada estará promovendo uma grande festa que contará com a apresentação musical do esplanadense Jânio Alves.
Para quem ainda não sabe, o Happy Hour agora se encontra sob nova direção e desde então vem inovando nos seus serviços para agradar ainda mais a clientela. As terça e quintas tem o famoso café nordestino e nas quartas serão oferecidas as tradicionais sopas. Além disso, o mesmo ainda conta com os serviços de pizzaria com os mais diversos tipos de sabores incluindo doces e salgadas.
O Happy Hour fica situado na Rua  Rua Doutor Armando Costa Tourinho nº 9 – Centro.
Esplanada Agora – informação na medida certa

29

Grupo de capoeira Safira realiza 12º batizado neste fim de semana em Esplanada

O grupo de Capoeira Safira do município de Esplanada coordenada pelos mestres Nil, Sucuri e professor Guerreiro realizou o 12º batizado neste fim de semana no Bairro do Timbó.
O evento que contou com apresentações de grupo folclórico, reuniu capoeiristas da sede e da comunidade de São José,  um momento de muita emoção para esses jovens lutadores.
O batizado nada mais é do que uma apresentação do novo capoeirista aos demais. No batizado o capoeirista recebe a sua primeira graduação e também um apelido. O apelido é uma tradição na capoeira e lembra os tempos em que os capoeiristas eram obrigados a usar codinomes para não serem identificados. A partir do batizado o capoeirista passa a ter também um “padrinho de capoeira” que é o mestre que jogou com ele durante o batizado.
A roda de capoeira é um círculo onde um grupo de pessoas se reúne em torno dos capoeiristas. A roda é comandada pelo tocador de berimbau que é quem define as músicas e dita o ritmo do jogo. Existem também as “rodas de rua”, encontros de capoeiristas em locais públicos e que conta com a participação do público. Muitas vezes as “rodas de rua” são realizadas em praças, praias e feiras, com o intuito de divulgar o esporte.
Esplanada Agora – informação na medida certa