DE MAL A PIOR: Situação das estradas da região complica muito o acesso às praias e a vazão da produção rural

No dia 12 de janeiro desse ano o site Correio, publicou uma matéria que diz: De mal a pior: 64% das rodovias baianas são de regulares a péssimas. LEIA A MATÉRIA AQUI.
Circular pelas rodovias que cortam a Bahia – sejam elas estaduais ou federais, sob concessão ou não – tem sido tarefa complicada. A cada dez estradas que passam pelo estado, seis são consideradas regulares, ruins ou péssimas. De 57 rodovias baianas analisadas pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), 64,8% estão nessa situação e, quanto ao estado geral, nenhuma é tida como ótima. 
CONDIÇÕES
Das variáveis analisadas pela pesquisa apresentada na matéria divulgada pelo Correio (acima), a pavimentação teve o pior desempenho na Bahia. Dos 8.866 quilômetros analisados, 5.791 estão com pavimento desgastado (65,4%). São 1.598 quilômetros (18%) com trinca em malha/remendos e 157 quilômetros (1,8%) com afundamentos, ondulações ou buracos. Outros 155 quilômetros (1,7%) estão com o pavimento destruído.
NOSSA REGIÃO:
E essa é uma realidade dura e crua, principalmente numa região de grande produção rural e de grande apelo turístico. Quem se programa para passar um final de semana nas praias que margeiam a Linha Verde, já percebe isso na BA 233 por exemplo. Principal no acesso que liga Esplanada ao Conde, Baixio entre outras localidades turísticas.
Essa  via de acesso sofreu uma operação tapa buraco a menos de um ano, e a poucos meses atrás, uma outra operação foi até a localidade de Altamira apenas. Dessa comunidade para quem vem sentido Esplanada, os buracos estão em todos os cantos e curvas ao longo da via, colocando a vida das pessoas em rico e gerando grande prejuízo por conta da manutenção que deve ser feita depois do ir e vir numa estrada com esses problemas.
Quem vai para Salvador por Araçás também sente no carro e no bolso a situação desse descaso, o que facilita os casos e mais casos de assaltos provocadas naquela região por conta dessa buraqueira.
A situação mais recente em nossa região foi a da BA 400 que está em fase de execução. Mas alguns usuários da mesma, publicaram algumas imagens nas redes sociais, apontando as rachaduras em alguns trechos do asfalto já colocado e ainda nem inaugurado.

Veja abaixo a imagem de um dos trechos da obra da BA 400, que liga Cardeal da Silva a Linha Verde.

Os órgãos competentes deveriam fiscalizar mais essas empresas que ganham as licitações para esse tipo de obra. Pois a situação é a mesma todos os anos e em vários lugares. 
“Sou produtor e pego a BA 233 2 vezes por semana para entregar Coco e Laranja. Mas toda semana eu tenho que colocar meu caminhão na oficina”. Disse um produtor rural da região.
“Eu gosto de ir para o Conde nos finais de semana. Hoje, eu penso 3 vezes antes de pegar essas estrada” Afirmou uma turista.
Todos acabam perdendo e muito com essa situação. Perde o produtor, perde o turista, o empresário do ramo, o produtor rural e os moradores das localidades cortadas por essas vias.
 
Da Redação: (esplanadagora@gmail.com) 
Foto: Reprodução