Profissionais com experiência comprovada são abandonados pela empresa responsável pela duplicação da BR 101

Desde de o início das obras no Lote 01, que ouvimos sobre o não aproveitamento da mão de obra qualificada de Esplanada em segmentos importantes para a operação da duplicação da BR 101. Esse assunto é recorrente e a cada dia fica mais claro que tem alguma coisa acontecendo em relação a recrutamento e aproveitamento.
Hoje (28/11) a redação do Esplanada Agora foi convidada a participar de uma reunião com um grupo grande de profissionais extremamente qualificados, inclusive, com experiência comprovada em carteira em grandes empresas e com atuação em obras em todo o território nacional, e que fazem parte, de uma estatística preocupante no município. Pois alguns desses profissionais foram chamados para atuar nesse projeto da duplicação e com a demissão em massa ocorrida em abril desse ano, a maioria ainda está desempregada e sem nenhuma resposta concreta do consórcio responsável.
O gerente de engenharia da Empa-Mota-Concressolo, conhecido como Guerra, no dia 25 de abril, em reunião com uma comissão de vereadores formada por Marcos Pinheiro, Dr. Lucas Nascimento, Elder Santana, Meire de Ziel, Alexandre Brito, Zelito Pimenta e Zé da Praia, deu essa declaração durante a reunião e que foi publicada pelo Esplanada Agora:
“O Gerente de Engenharia disse aos vereadores que essas demissões foram causadas em consequência das chuvas nesse período, e que até o final de junho o avanço da obra fica comprometido. Disse ainda que o número de demitidos até o fechamento dessa matéria era de 38 pessoas, sendo 22 de Esplanada. Segundo o gerente, esse é um momento delicado e que a produtividade de campo dessa obra depende do tempo firme, pois tem muita obra a executar ainda, e que a previsão de retomada das obras no trecho é para julho, e que o consórcio irá contratar todos os profissionais que por conta desse período chuvoso tiveram que ser demitidos, e todos esses, segundo a empresa, são profissionais ligados direta ou indiretamente a terraplenagem”. Afirmou o gerente de engenharia no dia dessa reunião. Confira a matéria na íntegra aqui.
Nesse grupo, tem profissionais com 20 anos de experiência comprovada em carteira, que já fez todos os testes na empresa, passou e até hoje, com quase 1 ano de obra não foi chamado ainda.
“Ninguém aguenta mais essa situação. É muita enrolação! Tem gente transferindo o título para Esplanada para dizer que é morador daqui e já está empregado!” Disse um dos profissionais.
Segundo informações levantadas, em operadores de máquina por exemplo, são mais de 15 trabalhando e somente 1 é de Esplanada.
“Fui demitido em maio com a promessa de recontratação depois do período das chuvas e até agora nada!” Disse outro profissional.
A empresa já vem sofrendo pressão constantemente de líderes políticos de outros municípios, já vislumbrando a etapa do Lote 02. Mas a realidade, é que o dever de casa não está sendo feito de acordo com o que diz a Lei de Incentivo Fiscal aprovada na Câmara.
Quem é de Esplanada, pode ver a cidade cada vez mais cheia de mineiros e as vagas que deveriam ficar para o município dentro da legalidade, parece que está indo para outras fronteiras.
 
Da Redação: (esplanadagora@gmail.com) 
Foto: Divulgação