Após mais de uma década Esplanada volta a receber noviços

Na manhã desta segunda-feira (10), no Convento Nossa Senhora do Rosário da Pompéia, em Esplanada-BA, aconteceu a admissão à 3ª etapa da formação incial na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, o noviciado. Neste ano, o noviciado interprovincial tem 20 noviços oriundos de várias cidades nordestinas, que decidiram dar mais um passo na caminhada e no discernimento para a Vida Consagrada Capuchinha.
A acolhida aos jovens aconteceu numa cerimônia interna presidida por Frei Liomar Pereira da Silva, Ministro Provincial da Província Bahia e Sergipe, juntamente com Frei Franklin Alves Edimar Teixeira Diniz, Ministro Provincial da Província do Nordeste do Brasil, Frei Francisco Antônio Ferreira de Souza, Ministro Provincial da Província Ceará e Piauí e Frei Roberto Fernandes, Mestre do Noviciado. Estavam presentes também à cerimônia o Bispo da Diocese de Alagoinhas, Dom Paulo Romeu, outros frades, Noviços e Postulantes do I ano de Alagoinhas-BA.
Foram admitidos ao Noviciado 2016 os seguintes frades: Fr. Alisson Anderson Santos, Fr. Anderson Sampaio, Fr. Cayke Hermeson Silva, Fr. Cícero Gionês da Silva, Fr. Cláudio Antunes, Fr. Dioego Santos, Fr. Fábio Rodrigo Hiopólito, Fr. Adriano dos Santos, Fr. Jairon Celedino, Fr. Jeovani Lima, Fr. João Carlos Goes, Fr. João Paulo Gargur, Fr José Carlos Alves, Fr. José Iranildo de Sousa, Fr. Moisíes Brito, Fr. Rafael Pereria, Fr. Ruan Rafael Silva, Fr. Thiago Barbosa, Fr. Thiago Mendonça, Fr. Ylamark Francisco dos Santos.
Em 2005 o noviciado foi transferido para a cidade de Bom Conselho-PE e lá permaneceu por onze anos até ser trazido novamente para a cidade de Espalanada-BA, com a experiência interprovincial que tem se mostrado muito frutuosa. No período do noviciado, os formandos aprofundam o chamado à Vida Religiosa e amadurecem sua resposta à luz do espírito capuchinho. Desenvolvem um intenso cultivo da vida interior como forma de autoconhecimento e, sobretudo, como meio para a amizade com Deus. Aprofundam também os laços de fraternidade e maior sentido de grupo.
Apesar de ser “um tempo de crise”, como ressaltou Fr. Franklin, é muito rica a experiência interprovincial no sentido de ajudar na formação humana, na vivência dos valores cristãos, bem como na vida fraterna. Além do que permite e possibilita estreitar os laços que unem os frades num mesmo carisma, dentro de uma mesma Ordem Franciscana, pois “o noviciado não é da PROBASE, da PRONEB, nem da PROCEPI. O Noviciado é da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos”, lembrou Fr. Liomar. A vivência e troca de saberes e fazeres tem dado bons frutos de crescimento humano, espiritual e cultural aos candidatos que por ela passaram.
Acredita-se que num mundo cada vez mais individualizado, o testemunho de união interprovincial seja um sinal claro e fecundo da fraternidade que se busca viver pelo carisma franciscano. O gesto de dar as mãos e caminhar juntos, anima ainda mais para a vivência do Evangelho do Senhor revelando, pela experiência do amor, o seu rosto bondoso e misericordioso em meio a este mundo.
por: Frei João Carlos Góes
Esplanada Agora – informação na medida certa