Brasil é doente em estado terminal, diz Financial Times

“Se o Brasil fosse um paciente internado, os médicos da UTI já o teriam diagnosticado como doente terminal”, avalia o jornal britânico “Financial Times”, em mais um artigo publicado sobre o país com o título “A terrível queda do Brasil da graça econômica”. De acordo com a publicação, a avaliação é de um senador do Partido dos Trabalhadores (PT). O jornal diz que a economia brasileira está “uma bagunça”, e que deve encolher até 3% este ano e 2% em 2016.“As finanças públicas estão em desordem”, diz o texto, lembrando que o governo estimou, este mês, que as contas públicas deverão ter déficit primário no próximo ano, o que levou a agência de classificação de risco Standard & Poor’s a retirar o grau de investimento do Brasil. “Dado o difícil ambiente externo – a desaceleração da economia da China, o colapso dos preços das commodities e a alta dos juros dos EUA – o Brasil está sofrendo os primeiros sinais de um estresse econômico extremo”, diz o “FT”, afirmando ainda que não foram os problemas econômicos que levaram à decisão da S&P, mas sim a crise política. “Dilma Rousseff, a presidente, não é amada por seu próprio partido, e sofre forte rejeição: ela é o presidente mais impopular da história do Brasil. Por isso é quase impossível para ela responder adequadamente aos problemas econômicos. Especialmente com o Congresso mais preocupado em salvar a própria pele de uma investigação de corrupção que desviou US$ 2 bilhões da estatal de petróleo, a Petrobras”. “O sistema político brasileiro é bem conhecido por ser pobre. Agora também não está funcionando”, diz o texto.