CARTÃO POSTAL: Operação de poda deve retirar 20 toneladas de plantas no bambuzal do Aeroporto

As árvores que compõem o bambuzal que fica na entrada do Aeroporto Internacional de Salvador  estão sendo podadas na manhã desta segunda-feira (17). De acordo com a Secretaria Municipal de Manutenção (Seman), a poda é uma ação preventiva e vai retirar apenas as plantas que estejam mortas.
O mutirão conta com 30 operários, dois caminhões-muncks e três caminhões de recolhimento. A expectativa é de que sejam retirados entre 15 a 20 toneladas de vegetação. Segundo o titular da Seman, Marcílio Bastos, essa ação nunca tinha sido realizada antes. “A ideia é que sejam removidas as partes mortas para melhorar o vigor do bambuzal e melhorar a segurança das caminhadas de quem usa as calçadas”, disse o secretário.
Uma das faixas foi interditada para estacionar os caminhões que vão recolher o material. Antes da poda,  engenheiros agrônomos da Seman fizeram uma vistoria no local.
O serviço de poda e erradicação de árvores no município de Salvador é amparado pela Lei Municipal 5.493/99, que visa à adequação dos vegetais ao espaço urbano, melhoria do paisagismo, eliminação do risco de queda de galhos, proliferação de pragas, contato com a rede de abastecimento elétrico, iluminação pública e outros.
Cartão postal
A entrada de bambuzal no aeroporto é um marco da cidade, para Antônio Roque Correia, 55 anos, que trabalhou por 24 anos no local, como auxiliar de rampa. “O bambuzal enriquece a chegada em Salvador, era uma coisa muito normal os turistas falando sobre a chegada por causa do bambuzal”, disse.
Para ele, a poda vai ajudar a rejuvenescer a vegetação. “Eu acho lindo, mas acho que passa a maior parte do tempo maltratado. Era um verde lindo antes, há mais ou menos 30 anos. Era um verde mais destacado, e agora está meio amarelado”, completou.
Já a turista psicóloga carioca Patrícia Lavigne, 70 anos, destacou que a paisagem dos bambus contrasta com o lado urbano da cidade. “É uma coisa linda, dá uma paz, faz aquela reflexão e inclusive contrasta com essa coisa mais urbana de Salvador”, opinou.
O administrador mineiro Adriano Vilas Boas, 28 anos, mora há três anos em Salvador e já passou por outras cidades, mas afirma que a entrada do aeroporto soteropolitano é única. “Quando cheguei, fiquei de cara encantado, já cheguei para morar e tomei um susto. É uma parte muito bonita de Salvador e eu acho que nunca vi isso em nenhuma outra cidade”.

Esplanada Agora – Informação na medida certa.