Com 10 milhões a menos em relação a 2015, Prefeitura apresenta proposta de previsão orçamentária para 2016

Sabe-se que desde a instalação da grave crise econômica, os municípios brasileiros vêm enfrentando um período de oscilação. Uma estagnação nos negócios e forte retração nas atividades da indústria, comércio e serviços, desencadeou uma queda na arrecadação, fato este que vem dificultando ainda mais a vida dos municípios.
Em Esplanada isso já pode ser identificado a partir da previsão orçamentária que o Chefe do Executivo municipal Rodrigo de Castro Lima (PTN) apresentou à Câmara; uma previsão no orçamento 2016 de queda na receita na ordem de 11,27%.
Comparativo – previsão orçamentária anual
ANO VALOR EM R$
2015 99.000.000,00
2016* 88.975.500,00 (-11,27%)
*queda média mensal de receita orçamentária 835.300,00
De acordo com o gestor, apesar da queda na arrecadação, o município tem os preços em suas despesas sempre majorados, tais como salários, energia, água, telefonia, materiais de construção, cujos orçamentos em condições normais, deveriam ter ido de R$105.000.000,00.
Com isso, ficou constatado que o município está ficando a cada ano com uma menor capacidade de investir em obras e ações que melhorem a vida dos cidadãos. Para exemplificar, veja abaixo o quadro comparativo da receita arrecadada com Royalties nos últimos anos aqui em Esplanada:
Histórico de Royaties
ANO VALOR EM R$
2005 8.411.232,74
2006 9.894.766,04
2007 11.689.562,98
2008 19.626.673,83
2009 14.782.810,59
2010 14.569.499,05
2011 11.922.295,36
2012 13.307.217,07
2013* 15.454.957,29
2014 14.216.688,67
2015** 5.613.963,46
*em 2013 – R$ 1.287.913,11/média mensal
**até agosto/2015 – R$ 701.745,43/média mensal
proposta

Por Manuela Chagas