Em época de pleito eleitoral, vereador critica escassez popular na sessão da Câmara

Na sessão desta segunda-feira (15/08), o vereador Marcos do Mulungu (PTN) fez uso da tribuna onde lamentou a escassez popular na Câmara Municipal. “Lamentável que em época de pleito eleitoral a câmara esteja vazia”. Questionou o edil.
Ainda no uso da palavra, o vereador fez uma breve retrospectiva acerca de projetos alvos de polêmicas que desencadearam uma série de críticas por parte da população, a exemplo do financiamento de 10 milhões junto ao Desenbahia. “Fomos criticados por pessoas que nos acusaram de ficar com parte da verba, mas hoje eu tenho a sensação de dever cumprido, mais de 2.000  pessoas saíram da lama e da poeira”. Declarou o edil referindo-se ao projeto de pavimentação que envolveu a comunidade do Mulungu.
O vereador ainda citou o leilão do prédio da Caixa Econômica Federal e que hoje, graças a ele, a prefeitura deu andamento à construção do galpão industrial da fábrica Propex. “Mesmo sendo alvo de tantas polêmicas estamos felizes com tudo isso”. Finalizou.
Outros vereadores também fizeram o uso da tribuna para reivindicar ações, a exemplo do vereador Diógenes Brito que solicitou uma estiva na região do falcão até o São José do Operário e uma máquina patrol nas comunidades de Oitis, Cachoeira do Edgar e Macaco.
Por sua vez, o vereador Ju solicitou a manutenção de um trecho localizado na Rua da Caixa d’ água e Alexandre Brito pediu que fosse encaminhado um ofício à Secretaria de Obras propondo melhorias nas estradas que dão acesso aos assentamentos Malombê e Antônio Conselheiro.
Em seguida, entrou em segunda votação, o Projeto de Lei 12/2016 que autoriza a concessão de subvenção social no valor de R$ 30.000,00 mensais para custeio de despesas com aquisição de materiais de uso hospitalar e medicamentos para a Santa Casa de Misericórdia. O Projeto foi aprovado por unanimidade dos presentes.
Esplanada Agora – informação na medida certa