Luiz Argôlo teve proposta de delação premiada descartada pelo MPF

Ex-deputado está preso há mais de cinco mesmo por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras.
O ex-deputado baiano Luiz Argôlo teve proposta de delação premiada descartada pelo Ministério Público Federal (MPF), segundo informou a coluna Satélite. Preso há mais de cinco meses por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras, o político mostrou interesse na delação no fim do mês de agosto.
Argôlo teria se interessado em colaborar visando a contrapartida que receberia: penas mais amenas e a migração para a prisão domiciliar quando o acordo fosse protocolado pela Justiça.
Entretanto, a Procuradoria Geral da Repúblçica considerou que a delação do baiano não contribuiria tanto para a operação Lava Jato devido o nível avançado das investigações em relação ao núcleo político.
A situação de Argôlo pode se complicar ainda mais. Ele deve permanecer até o fim do mês de setembro, pelo menos. Uma vez que o desembargador Newton Trisotto, relator do seu habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STF) ainda não incluiu o recurso na pauta de julgamento da Corte.