Quinze candidatos a prefeito na Bahia são pegos pela Ficha Limpa

Dos 31 candidatos a prefeito na Bahia que tiveram o registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), cerca de 15 foram pegos na Lei da Ficha Limpa. A regra faz com que políticos com mandato cassado ou com condenação em Cortes colegiadas se tornem inelegíveis por oito anos.
Dois municípios tiveram, cada um, dois candidatos indeferidos: Santa Cruz da Vitória (Carlos André do PTC e Geazi Andrade PP) e Sítio do Mato (Alfredo Júnior do PDT e Dionízio da Silva do PSD).
Além deles, completam a lista: Ioná Queiroz  do PT (Camamu), Antônio Almeida do PSD (São José do Jacuípe), Boaventura Cavalcanti do PSL (Canavieiras), Dagmar Nogueira do Dem (Casa Nova), Padre Deoclides do PSL (Serra do Ramalho), Doutor George do PPS (Sapeaçu), Itamar Rios do Dem (Capim Grosso), Izaque Júnior  do PMDB (São Domingos), Aldemir Bastos do PRB (Esplanada), Zé Carlos do PDT (Crisópolis) e Orlando Filho do PSDB em Buerarema.
Francisco Irmão do SD de Camaçari foi barrado por abuso de poder econômico.
A justiça eleitoral já indeferiu 916 candidaturas pelo estado. Desde problemas com a Ficha Limpa até falta de documentação. São 31 candidatos a prefeito, 26 a vice e 856 a vereador. O PSD é o partido com o maior número de candidaturas impugnadas: 61. Em segundo e terceiro lugar, vêm PTN (53) e PMDB (50).
Além disso, 444 candidatos renunciaram, 33 tiveram o registro cancelado pelos partidos e quatro faleceram. As informações são da coluna Satélite.