Politica

Atrasado: Após 30 anos, Fernando Collor pede desculpas por confisco da poupança

Ex-presidente da República sofreu impeachment no fim de 1992

19/05/2020

O ex-presidente Fernando Collor de Melo, atualmente senador pelo estado de Alagoas, pediu desculpas pela primeira vez por conta do confisco das poupanças dos cidadãos brasileiros no início do seu governo, no ano de 1990. Ele utilizou suas redes sociais para se desculpar, tentando explicar e justificar o que aconteceu.

Confira abaixo o pedido de desculpas na íntegra.

“Pessoal, entendo que é chegado o momento de falar aqui, com ainda mais clareza, de um assunto delicado e importante: o bloqueio dos ativos no começo do meu governo. Quando assumi o governo, o país enfrentava imensa desorganização econômica, por causa da hiperinflação: 80% ao mês! Os mais pobres eram os maiores prejudicados, perdiam seu poder de compra em questão de dias, pessoas estavam morrendo de fome. O Brasil estava no limite! Durante a preparação das medidas iniciais do meu governo, tomei conhecimento de um plano economicamente viável, mas politicamente sensível, com grandes chances de êxito no combate à inflação. Era uma decisão dificílima. Mas resolvi assumir o risco. Sabia que arriscava ali perder a minha popularidade e até mesmo a Presidência, mas eliminar a hiperinflação era o objetivo central do meu governo e também do País. Acreditei que aquelas medidas radicais eram o caminho certo. Infelizmente errei. Gostaria de pedir perdão a todas aquelas pessoas que foram prejudicadas pelo bloqueio dos ativos. Eu e a minha equipe não víamos alternativa viável naquele início de 1990. Quisemos muito acertar. Nosso objetivo sempre foi o bem do Brasil e dos brasileiros.”

Collor atravessou uma das piores crises econômicas da história do país, além de inúmeros casos de corrupção em seu governo, que acabaram resultando em seu impeachment no ano de 1992.

Da Redação do EA

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

você pode gostar