Esporte

Futebol ganha com ‘fico’ de Messi, mas Barcelona precisará se mexer

Jogador pode ter vencido embate pessoal contra presidente do clube, mas todos, inclusive o craque, perderão muito se o elenco não for requalificado

05/09/2020

Contra sua vontade, o maior jogador de sua geração e da história da equipe catalã recuou diante a insistência dos cartolas de só liberarem sua saída com uma multa contratual, impagável para muitos na realidade atual, de 700 milhões de euros, equivalentes a R$ 4,39 bilhões ao câmbio desta sexta-feira (4).

E também da falta de vontade de tentar derrubar a exigência do clube na Justiça. O craque percebeu que, ganhando ou perdendo, seria extremamente desgastante para sua imagem, carreira e negócios encarar uma batalha nos tribunais, eventualmente longa, com o clube que o acolheu nos últimos 20 de seus 33 anos.

Os amantes do futebol se surpreenderam com rápida desistência de Messi. E ficaram divididos entre apoiadores e críticos da decisão.

Mas, para isso, o time catalão precisará investir para na reconstrução mínima daquilo que Messi tem chamado, em suas críticas, de projeto esportivo, ou seja, numa requalificação que torne o grupo capaz de disputar os próximos títulos com alguma chance de conquista.

A novela está longe de acabar. Só deu uma pausa. Cenas dos próximos capítulos ao final da temporada a ser aberta.

Da Redação do EA

(VIA: Eduardo Marini, do R7)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

você pode gostar