Esporte

TITE FOGE DAS EXPLICAÇÕES, APÓS PERDER A COPA AMÉRICA

11/07/2021

Tite fugiu das perguntas óbvias, e entrou na história como o treinador que perdeu a Copa América para à Argentina no Maracanã.

Perdeu a objetividade, responde como político, fala sem explicar, e se escora nos seus auxiliares, com a desculpa de que é ‘democrático’. Que treinador de equipe importante no mundo, do quilate do Brasil, participa de coletivas com seus auxiliares respondendo? Situação bizarra, que só serve para ‘proteger’ Tite de perguntas que não quer responder.

Na entrevista, Tite deu uma aula de enrolação. “O sentimento é de tristeza, mas primeiro de reconhecimento do outro lado. Se não for assim, a gente faz do futebol como o que ganha é bom e o que perde é terra arrasada. Temos que olhar o outro lado. Aqui tem um profissional que tem um pouco de lastro para saber reconhecer o outro lado. Teve o trabalho, a qualidade técnica individual, teve as estratégias, teve o seu tempo, e fez um enfrentamento, com efetividade e conseguiu conquistar. Prefiro reputar e reconhecer o outro lado pelo valor da vitória.”

Tite acredita que não dando resposta efetivas, tudo ficará na superficialidade, mas não é assim. Ele não quer que pessoas saibam detalhes de, como ontem, as coisas não aconteceram como o treinador desejava, e fala sem dizer.

Esse não é o papel do treinador da Seleção cinco vezes campeã do mundo. O técnico tem de se posicionar, se explicar, aos brasileiros, na derrota ou na vitória. Desde que pisou na CBF, Tite perdeu a espontaneidade.

Fala, evitando ter conteúdo, é vergonhoso, e pior do que a derrota para a Argentina foi a enrolação de Tite, foi superficial de propósito. Triste para um técnico campeão mundial e da Libertadores, e que perdeu a Copa América, em casa, contra a Argentina.

Não há discurso vazio que mude essa situação…

Da Redação do EA

(VIA: Cosme Rímoli | Do R7)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

você pode gostar