Polícia

FUNCIONÁRIOS DE BANCO SÃO DENUNCIADOS POR FURTAR R$ 8,5 MILHÕES DA CONTA DE FALECIDO

07/08/2021

Um dia depois da morte, gerente-geral da agência ligou para a central e disse estar ao lado do cliente, que desejava resgatar valor aplicado na previdência privada

Um idoso de 83 anos que morava no Rio de Janeiro morreu, em setembro de 2019, e deixou R$ 8,5 milhões investidos em um plano de previdência privada de um banco. Dias após a morte, três funcionários do banco do qual o idoso era cliente transferiram esse dinheiro para as contas dos cônjuges de dois deles e depois compraram casa e veículos, segundo o Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ), que denunciou o grupo por associação criminosa, furto duplamente qualificado e lavagem de capitais.

O idoso morreu em 3 de setembro de 2019. Um dia depois da morte, a gerente-geral da agência bancária, Ana Gabriela Saloto, ligou para a central de atendimento do banco e disse estar ao lado do cliente, que desejava resgatar todo o valor aplicado no plano de previdência privada. “Eu estou com um cliente aqui porque ele está tentando fazer uma movimentação na aplicação dele, tá? Ele está indo para Portugal”, afirmou a gerente, que então passou o telefone para uma pessoa que se passou pelo cliente morto.

Com o dinheiro furtado, os funcionários do banco compraram carros e outros bens, segundo o MP-RJ. Ferreira comprou uma casa de luxo na zona norte do Rio, por R$ 900 mil. Em 2020, ele e Ana Gabriela pediram demissão do banco.

Além da viúva e de seu advogado, também um mecanismo de segurança do próprio banco identificou a fraude e acionou a Delegacia de Roubos e Furtos do Rio de Janeiro, que iniciou a investigação e indiciou o grupo.

Da Redação do EA

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

você pode gostar