Subdestaque

SALVADOR: HOMEM CONTA COMO FORAM AS HORAS PRESO EM MERCADO NA BONOCÔ

02/09/2021

Depois de passar cerca de 3 horas preso em um supermercado na Avenida Bonocô, o baiano Carlos Santana conseguiu sair da unidade por volta de 1h30 desta quarta-feira (1º). Ele precisou aguardar a chegada de um supervisor da unidade para que o Maxxi Atacado fosse aberto. A Polícia Militar, que ele tentou chamar sem sucesso pelo telefone, até parou lá, após dois amigos acionarem uma viatura, mas afirmou que não podia fazer nada.

“A PM foi dar apoio a dois amigos meus, para ver se conseguia resolver. Falaram que ia ver se mandava viatura (quando liguei), não mandou. A viatura que parou foi porque um casal de amigos meus parou na rua. Se fosse caso de roubo, num instante teria como entrar e me tirar lá de dentro. Como não era roubo, disse que não tinha como”, diz Carlos.

Carlos diz que foi uma das situações mais angustiantes que ele já viveu, temperada com o temor de ser confundido com um ladrão. “Já tenho a pele mais escura, né? Eu rodando dentro daquele supermercado, porque quando eu desci as luzes estavam acesas. Aí pensei: daqui a pouco aciona o alarme aqui, daqui que eu explique que sou cliente, eles acreditarem, já tomei um tiro. Aí veio medo”, conta.

Em nota, o Maxxi Atacado lamentou o ocorrido e diz que a situação não condiz com seus procedimentos internos. “O Maxxi Atacado esclarece que irá reforçar seu sistema e o efetivo de segurança da unidade Bonocô”, acrescenta.

Apesar do cansaço, ele até dá algumas risadas ao contar a história. Quando ligou para a mulher para contar que estava preso em um supermercado, ela desconfiou da história, pensando que poderia ser um “zig” do marido. “Achou estranho, né? Que história é essa de mercado? Eu liguei logo, até porque ela estava me esperando”, diz ele.

Da Redação do EA

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

você pode gostar